segunda-feira, 1 de junho de 2015

Algumas considerações sobre Como discutir sobre Filmes

Bom, para quem não sabe, eu tenho um outro blog chamado O Ideal e o Possível, cuja temática é mais voltada para a História, antigas civilizações e as vezes eu discuto qualquer coisa sobre atualidades.

A criação do Café com Pipoca me permitiu uma interessante proposta: Além de uma maior liberdade para escrever, posso discutir sobre assuntos de ordem pessoal (tipo filmes, livros, games, animes, etc) sem a me preocupar com a dissonância que isso causaria em um blog com uma postura mais "séria".

O que é muito bom e eu já noto esse choque nos meus textos.

Um assunto que ficava complicado de tratar (e ainda fica) é Filme, algo que A-DO-RO e sempre gosto de discutir. Na verdade, uma grande vontade que tenho é fazer uma exibição de Filmes onde role comentários sobre sobre a mensagem passada no final do Filme.

O entendimento sobre a mensagem de um Filme é algo totalmente subjetivo, ou seja, por mais clara que seja a mensagem repassada, nem sempre todos chegarão na mesma conclusão, pois existem fatores alheios ou particulares que inclinam suas conclusões pra lá ou pra cá.
Nem todos interpretam uma informação do mesmo jeito...
Quando eu digo que não gostei do filme por esse ou aquele motivo, não quer dizer que o filme é ruim, apenas não gostei. É a minha Conclusão/Opinião que pode (e provavelmente será) diferente da sua Conclusão/Opinião.

Por exemplo, um cara brigado com o Pai está mais suscetível a filmes do tipo Gonzaga - De Pai pra Filho do que um cara sem esse tipo de problema. Da mesma forma, quem curte carangos estilosos e adrenalina vão curtir filmes tipo Velozes e Furiosos. Seguindo esse raciocínio, filmes de luta encorajam lutadores, filmes românticos "tocam" pessoas sentimentais, filmes de Serial Killer estimulam assassinos em potencial...

... etc, etc, etc.

Acho que já deu pra entender.

Agora devemos levar uma coisa em consideração: Uma coisa é expor uma opinião e outra é expor falhas no roteiro.

Opinião é, como já discutimos, uma coisa que depende de cada um. Falha no roteiro todos podem perceber e, apesar disso, é a coisa mais normal do Mundo. Por mais escandalizante que seja, essa possibilidade existe, é real e você deveria considerar a possibilidade de que seu Filme Favorito pode(m) conter alguma(s) falha(s) no roteiro que passou(aram) batida pela produção.

No Ideal e o Possível eu sofri minha Inquisição particular quando escrevi sobre o filme do Percy Jackson e sobre o Livro do Percy Jackson e, vai por mim, a maioria das pessoas que me queriam minha cabeça em um espeto na frente do Acampamento Meio Sangue sequer sabiam as diferenças entre a história do primeiro livro com a história narrada no primeiro filme.

Ouso dizer que outra parcela nem tinham lido ao livro, pois ignoraram fatos como a Annabeth no livro (nerd, tímida e sabida ao extremo) ser totalmente diferente da Annabeth do filme...
Ahn, bem, creio que não preciso falar nada sobre a moça. Na verdade, todos os personagens do livro são (também) bastante diferentes dos atores, além de pontos da narrativa, entre outros fatores.

CONCLUSÃO
Bom, tudo isso para deixar claro que, quando de alguma publicação de críticas sobre Filmes (ou mesmo sobre livros ou qualquer outra coisa), é pouco provável que tenhamos a mesma opinião ou que eu atenda sua opinião em uma porcentagem aceitável.

Mas isso não deveria ser algo que separe você deste blog... ou de qualquer outro, afinal, são as diferenças que deixam o Mundo um lugar interessante. Ainda, você pode expor seu descontentamento ou suas considerações (sejam elas quais forem) nos comentários, nos e-mails, enfim, você é de casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário