terça-feira, 23 de junho de 2015

Let's Burn - Saiu o SEXTO episódio de Saint Seiya Soul of Gold

UAU, corri com meus prazos apenas pensando nas poucas pessoas que costumam frequentar este Blog sobre Cultura Pop (que ainda está pensando em poder engatinhar) para trazer nosso resumo de mais um episódio de Saint Seiya - Soul of Gold.

E logo de cara percebemos uma mudança gritante: NOVA ABERTURA!
Sim, E ficou boa pra caralho!
Segue uma foto que ilustra muito bem minha reação.

Isso me faz pensar que alguém ultra hiper mega ultimate plus gigantesco da TOEI leu este Blog e procedeu com a mudança, só isso pode explicar. Obrigado, TOEI, você deu uma Imagem mais digna ao Soul of Gold.
No episódio anterior, a Grande Árvore Yggdrasil drena o cosmo de nossos heróis, o que torna a missão dos Guerreiros deuses mais fácil do que nocautear um bêbado, então destruir Yggdrasil é o primeiro passo para sair vivo de Asgard.

Mesmo que os motivos que os trouxeram de volta a vida naquele fim de mundo não esteja bem definido.

Enfim, com muita boa vontade os cavaleiros dourados destroem as Grandes Raízes, avançando na missão, excetuando Milo...

... o Yamcha do grupo.

Milo sempre judiava dos soldados genéricos de Asgard e Mu resolve fazer o mesmo. Andreas fala a todos os soldados que deixem os cavaleiros de Ouro passarem, pois trata-se de uma batalha que cabe, apenas, aos Guerreiros Deuses.

Enquanto isso, Andreas convoca seus lacaios para os últimos certames. Ao que tudo indica, NOVAMENTE os Guerreiros Deuses são enganados. Andreas aponta que Hades e Atena estão tramando contra Asgard, o Grande Eclipse é fruto dessa parceria que impede Yggdrasil de prosperar.

Por isso Andreas entrega as Novas Safiras de Odin, que podem retirar uma quantidade ainda maior de energia de Yggdrasil....
Tradução da Legenda: Antes da batalha final, provem estas "balinhas"
... mas as novas Safiras de Odin mais parecem comprimidos de Anfetaminas.

Tradução da Legenda: Minha mão tá estranha... que sensação legaaaaaaaaaaaaaal....
Bom, são REALMENTE  Anfetaminas, veja a reação dos caras.

Feito isso, cada Guerreiro Deus se direciona para seu posto onde aguardam seus carrascos... OPA, seus adversários. Todos, excetuando Frodi/Dukemon, que questiona Andreas sobre a ausência de um dos cavaleiros dourados. Andreas responde que, anteriormente, já andou trocando uns tabefes com Aioros.

Sim, finalmente veremos Aioros de Sagitário. Mas, primeiro, um Flashback.

Andreas está no quarto com Hilda, a anterior representante de Odin na Terra, justificando sua conduta que, apesar de questionável, são para o bem de Asgard. Hilda não entende como usurpar o Status de representante de Odin na Terra e isolar Freya do mundo exterior, além de enganar os Guerreiros Deuses pode ser um bom plano.

Andreas manda os seus soldados genéricos reforçarem a segurança. De repente, o atual representante de Odin percebe a presença de alguém que acompanha seus paços.
Eu podia tá roubanu, eu podia tá matanu, eu podia tá fazendo coisa errada...
... não, não é um mendigo, não um mendigo qualquer, é Aioros.

Agora estamos dentro da Grande Árvore com Lyfia, Aioria e Shura e, depois, com Mu, Aldebaram e Dohko também. Lyfia comenta sobre setores da Árvore (chamadas Câmaras) onde os Guerreiros Deuses residem... agora os Cavaleiros de Ouro enfrentam o equivalente a sua própria Batalha das 12 Casas.
  • A Câmara da Sabedoria, Svartalfheim
  • A Câmara dos Gigantes, Jotunheim
  •  Câmara da Luz, Alfheim
  • A Câmara dos Mortos, Helheim
  • A Câmara dos Heróis, Vanaheim
  • A Câmara da Névoa, Nifheim
  • A Câmara do Gelo, Jaheim
"Alimentando-se da Força Vital daqueles enganados por falsa prosperidade, Yggdrasil cria raízes na Terra.Quando a semente da calamidade cresce dentro de uma Árvore, nasce um fruto maligno que levará esta Terra à ruína."


Lyfia acaba ficando com aquele olhar de peixe morto, igual ao final do primeiro episódio, ao dizer essas palavras. Depois disso, os cavaleiros vão ao encontro do inimigo. Aliás, olhando um pouco para a imagem dos cinco cavaleiros de ouro juntos, você não lembra de nada?! Nadinha?!
Poisé.

Ah, antes de saírem, Aioria dá as contas de Lyfia, pensando em sua integridade física, contudo, parafraseando o capeta em O Auto da Compadecida, mulher em tudo se mete. Lyfia volta o caminho para junto de nossos heróis, porém, acaba se perdendo na Câmara dos Mortos.

Sim, ela chegou até a Câmara dos Mortos primeiro do que os cavaleiros que se movem na velocidade da Luz.

Ao entrar na referida câmara, uma figura estranha aparece em suas visões, um pentagrama escuro com os símbolos do Zodíaco aparece no chão.

Na caminhada, Shura acaba encontrando Camus na câmara de Gelo e a luta promete ser quente (trocadilho infame). No mais, mais do mesmo. Aioria chega até a câmara onde está Frodi/Dukemon (o Guerreiro Deus que é a cara do Dukemon).
Aldebaran chega até a câmara onde está Hercules (o Guerreiro Deus das Beyblades), Mu chega até a câmara onde está Fafner... que é arremessado longe pelo Lemuriano que já chegou cantando de galo. Dohko chegou até a câmara dos Mortos, onde a figura de um necromante o observa, vários fantasmas de soldados asgardianos genéricos atacam o cavaleiro de Libra...

... a maioria desses soldados, certamente, foi morta pelo Milo.

Andreas observa tudo de seu trono, além de ver Shaka, Saga e Máscara da Morte correndo para auxiliar seus amigos. De repente, o "Olho coberto" de Andreas parece doer. Levado até os fundos de sua sala, onde pode ser notada as armaduras dos cavaleiros derrotados (Milo e Afrodite), Andreas lembre dos tapas que deu em Aioros...
 ... que são fortes ao ponto de trincar a armadura de Ouro.

Depois de muita tensão, Aioros se levanta e começa a queimar seu Cosmo. Andreas comenta que Aioros deve amaldiçoar seu destino por não encontrar outro inimigo logo de cara, mas o Salvador de Atena reafirma seu espírito guerreiro.

Aioros acredita que foi a mais pura sorte encontrar logo o cara mais forte de Asgard, assim, mesmo que Andreas não seja derrotado, ao menos estará fraco o suficiente para ser derrotado pelo próximo.

Assim, surge a Armadura Divina de Sagitário.

Ou o que sobrou dela.

Lançando uma flechada FDP, Aioros acaba caindo no precipício, mas causa um terrível dano ao inimigo, Andreas perde o olho esquerdo... mas ganha um penteado EMO. Termina o episódio com Andreas dizendo que nada mais pode atingir Yggdrasil.

CONCLUSÕES
Muita agitação, surpresas e, claro, AIOROS, o que sempre é uma boa pedida quando falamos de Saint Seiya, seja Soul of Gold, seja Lost Canvas ou mesmo na série clássica. A qualidade do traço caiu pacas, quando os cinco cavaleiros de ouro se reúnem, por exemplo, o desenho é tão ruim... poxa nem dá vontade de fazer piada. Tomara que estejam guardando uma graninha pra continuar a série.

O Lost Canvas ainda não voltou e eu penso que seja pelo mesmo motivo.

Alguém lembra como acabou Shurato?! Poisé.

Contudo, a história ainda está prendendo bem, envolvente e tal. Vamos ver quanto tempo dura, próximo episódio teremos novamente dois dourados brigando e apresentando suas armaduras em versões divinas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário