quarta-feira, 4 de maio de 2016

Not So Super Mário - Grupo israelense usa Super Mário para discutir acessibilidade


Este ano, para quem não sabe, começa a valer (desde o dia 03/01) a chamada Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência que é o Estatuto do portador de deficiência, documetno que garante acessibilidade, inclusão social, cidadania reconhecida... Essas coisas que são lindas no papel, mas que teimam em não sair dele.

A questão é que os Portadores de Necessidades Especiais estão aí e a negligência e desrespeito com essas pessoas é obsceno e eu não falo só da Acessibilidade (ou falta dela), mas a própria falta de diálogo sobre o assunto já é um problema.

Não adianta se sensibilizar com a Causa, curtir e compartilhar no Face e obstruir o acesso da calçada para o Cadeirante ou estacionar na vaga especial com seu carro do ano.

E se você faz isso, você é um fuleragem.

No que diz respeito aos Games, não poderia ser diferente. O grupo Tachles –  תכל’ס lançou um vídeo sobre o famoso Herói do Nintendinho, o Super Mário. No vídeo chamado Not So Super Mario (Não Tão Super Mário, em questionável tradução deste que vos fala), onde ele é um Cadeirante e deve enfrentar os mesmos obstáculos de sempre, só que sem a mobilidade de sempre.


 E, sim, o Luigi deixou de ser uma cópia do Mário (apenas variando pela paleta de cores) e finalmente fazz algo útil!
 
O referido grupo é composto pelo trio israelense Liron Atia, Roi Meyshar, Gadi Wilcherski e a ideia de fazer esse video foi, segundo entrevista The Inquisitr,o acidente sofrido por um dos integrantes do referido grupo.

A acessibilidade é bem discutida no vídeo e com toques de bom humor que pode ser entendido como humor negro (sempre há quem se ofenda), mas o trabalho mostra que a limitação dos movimentos pode ocorrer com qualquer um (até o próprio Mário). O respeito ao acesso dessas pessoas deve ser observado, o que não acontece todo o dia.

Seja como for, a conscientização está melhorando, inclusive, foi lançada uma petição para que Disney a crie personagens com necessidades especiais... aliás, o artista italiano Alexsandro Palombo fez ilustrações das famosas Princesas Disney como se fossem cadeirantes.

Então levante essa bunda da sua cadeira e faça a sua parte, claro, você não vai mudar o Mundo com seu "jeito ninja", mas pelo menos respeite os locais com acessibilidade facilitada como estacionamentos, faixas, passagens de calçadas e seja um cidadão consciente... não apenas no Facebook.

Seu fuleragem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário