segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Let's Burn - Saiu o ULTIMO EPISÓDIO de Saint Seiya Soul of Gold


Sim, amiguinhos, finalmente chegamos ao final dessa jornada que durou tão pouco, mas acabou sendo uma das coisas mais interessantes que já aconteceram...

... no que diz respeito a Saint Seiya, claro.

No episódio anterior, Aioria usa a Armadura de Odin e desce a mão no falso deus Loki, contudo, este ainda consegue se apoderar da poderosa Lança Gungnir e, com um tiro, destrói o braço da estátua de Odin e boa parte de Asgard. Ainda, os cavaleiros dourados surgem diante de um surpreso Loki, graças a uma artimanha de Afrodite, e a batalha recomeça.

Logo percebemos mais uma  inovação bastante interessante na série: Cavaleiros de Ouro misturando seus golpes e procurando a forma mais eficaz de derrotar o falso deus, contudo, não surte qualquer efeito no irmão sacana de Thor.

Loki arranca o dispositivo Draupnir das mãos de Aioria, quando os dourados percebem pétalas de sangue vindas do Céu... é Atena, que envia seu próprio sangue na forma de pétalas de rosa para seus guerreiros... o que dá novo ânimo aos nossos heróis e, agora, todos podem atingir a forma plena de suas armaduras divinas.
Atena enviando seu próprio sangue até Asgard, na forma de pétalas de rosas

A casa caiu, Loki. Banhados pelo sangue da deusa, todos os cavaleiros dourados fazem pose com suas armaduras douradas em sua versão divina....

Detalhe para a reutilização da cena do encerramento.

O falso deus tenta fugir, mas nossos heróis se transformam em esferas de Luz e vão até o Infinito, ao Cosmos e travam severa batalha, onde Loki só não apanha mais do que o próprio Seiya.

Todos usam seus golpes mais poderosos, mas Loki ainda é capaz de revidar, agora Aioria usando o dispositivo Draupnir (entregue por Mu) reserva seu mais poderoso golpe... não, não é o Photon Burst, mas é legal de qualquer forma. Porém, Loki suporta o poder e ainda continua vivo.

Viu, se fosse o Photon Burst, já tinha acabado, mas nãããããão.

Enfim, Aioria sente as orações de todos os indivíduos da Terra que querem um mundo melhor, sem deuses sacanas pra pentelhar, um mundo sem sofrimento, sem negócio de Lava-Jato, Mensalão, delação premiada e tal. Usando essa nova força e o apoio dos outros dourados, Aioria destrói o inimigo.
Todos os cavaleiros dourados confiam em Aioria
Iupi!

Agora que tudo voltou a rotina, os heróis se despedem de Asgard, dos amigos que fizeram e da lição que deixaram... e provavelmente será esquecida pela maioria das pessoas. Nossos heróis lamentam não poder ajudar mais os cavaleiros de bronze, mas uma inesperada ajuda se faz notar...
Julian Solo em rápida, porém, significativa aparição

... Caralho, é Poseidon!

O Rei dos Mares baixou no Julian Solo, despertado pelo Cosmo da batalha contra Loki. A chefia dos Marinas promete que ajudará os cavaleiros dourados enviando suas poderosas amaduras douradas para Seiya e seus comparsas.

Os Caveleiros de Bronze e as Armaduras Douradas...
Certamente o envio das armaduras douradas até os Campos Elísios será de grande ajuda e um fator diferencial na vitória de Atena nesta Guerra Santa...
... agora poucos minutos depois da chegada das Armaduras Douradas

... só que não.

Enfim, rola uma pequena despedida entre Aioria e Lyfia, onde nenhum dos dois acaba revelando o que sente um pelo outro. Lyfia termina chorando tentando articular palavras para se expressar, mas acaba vendo seu amado desaparecer para mais uma guerra.

Certamente muita gente acabou torcendo o nariz com esse encerramento, meio Amor Platônico, mas MAIS certamente do que isso, é o fato de que ALGUÉM ficou muito feliz com a inconclusão desse amor...
Loki usando a Lança Gungnir será o melhor dia da sua vida comparado a ira de uma Mulher... ainda mais a Marin

Poisé, Aioria foi bastante sensato... por isso é o meu favorito.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Então, chegamos ao final de Saint Seiya, Soul of Gold e a sensação é de que o final, com efeito, podia ser mais elaborado. Tudo acabou muito "assim", começo, meio e fim. Sem maiores efeitos colaterais para Asgard... excetuando que a estátua de Odin foi desmembrada pelo tiro da lança Gungnir... mas, fora isso, nada de muito diferente acabou acontecendo.

Contudo, muita coisa eu consegui aproveitar desse anime. As relações entre os cavaleiros ficou bem mais sólida e o que poderia ser uma relação conturbada entre os dourados ganhou um fechamento interessantíssimo.

É sabido que muitos Dourados tinham certa "treta" entre eles (Aioros e Saga, Aioria e Shura, Mascara da Morte e os outros 11 dourados)...

Melhor diálogo entre os Dourados na resolução de suas diferenças
... mas os diálogos foram bem satisfatórios e deu desfecho a qualquer interpretação. Dentre todas as "acariações" entre os Dourados, penso que quem prestou atenção nesse ponto do Anime terá a mesma opinião: O encontro entre o Traidor público, Aioros e o Verdadeiro Traidor, Saga.

O curto diálogo mostra o arrependimento de Saga e os meios tortuosos que o cavaleiro de Gêmeos usou para buscar redenção, além do sincero perdão de Aioros deixam o momento bastante propício para a Emoção que só os Otakus podem perceber.

Poisé, gente, muita água passou por debaixo dessa ponte, mas penso que tenha chegado ao Fim, Soul of Gold terminou com gostinho de "quero mais" e repito que Soul of Gold foi a melhor coisa que poderia acontecer ao Universo Saint Seiya...

... até retomarem a continuação de Lost Canvas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário